/blog da diretoria

Comunicado Oficial
Escrito por: Valdir Gomes Moreira   |   18/12/2015 às 00h00

No encerramento de mais um ano atribulado, conseguimos superar muitas dificuldades, tais como troca de concessionário de alimentação, queda na arrecadação, aumento nas despesas dos serviços públicos (água, energia e gás), impacto no acordo sindical dos funcionários, elevada rotatividade de associados e várias outras influências decorrentes da crise econômica que atingiu o país.

Apesar das adversidades, mantivemos nossas atividades sociais, culturais e esportivas em pleno funcionamento, com frequência média de 28 mil pessoas por mês circulando em nossas dependências e com um quadro associativo praticamente estável. Mantivemos e melhoramos nossas instalações físicas e procuraremos desenvolver ao longo de 2016, as que ficaram por realizar.

A Diretoria objetivando manter para o próximo ano o mesmo nível das atividades sociais, culturais e esportiva, e sabedora das dificuldades que estão por vir, elaborou um orçamento considerando a pressão a que nossas contas serão submetida, tanto pelo dissídio coletivo aprovado pelos Sindicatos (+11,22%), como pelas previsões de aumentos que deverão ocorrer nos serviços públicos e, ainda, com expectativa da equilibrada rotatividade de sócios.
 
Sob rígido controle das despesas e assíduas reuniões com o Conselho Deliberativo e suas Comissões, chegamos a um aumento satisfatório no valor das mensalidades, (de + 9,64% a + 9,73%), dependendo da composição familiar e atividades praticadas, inferior à inflação acumulada nos últimos 12 meses que foi de (10,48%).

Somente conseguimos atingir este índice de correção na mensalidade e taxas das atividades físicas, reduzindo as contribuições a titulo de taxa de obras, uma vez não deverão ocorrer grandes intervenções em 2016. 

Por outro lado, corrigimos uma distorção existente, onde vários dos frequentadores “não associados” do Clube, que nada pagam pelo uso de nossas instalações, como os possuidores de cartão de frequência (ascendentes de associados) e (babás e funcionários particulares), passarão a pagar R$ 18,00/mês e, convidados de associados nos espaços de eventos que passarão a pagar o valor de R$ 18,00/evento, por meio dos associados responsáveis.  

Tal medida se fez necessária, em razão da elevação da frequência dos não associados nos últimos anos (14.500 frequentadores, só em 2015), aumentando significativamente as despesas com higiene e manutenção, além de consumos de água, energia e gás.
 
Assim, contando com a compreensão e colaboração dos associados, esperamos que para 2016 a conjuntura político-econômica do país apresente expressiva melhora, desejando a todos associados e seus familiares um ano novo repleto de realizações e que continuem aproveitando o nosso IPÊ.
 
Valdir Gomes Moreira
Presidente da Diretoria Executiva

Confira abaixo os comentários publicados.
2 comentário(s)

» Valdir Gomes Moreira publicou 07/01/2016 às 14h27

Prezada Sra. Heloisa Aguiar, Agradeço seu contato, demonstrando que nem todos os associados estão alheios às causas do clube, sendo sempre bem vindas manifestações amparadas por discernimento, propriedade e muito respeito, como feito por V.Sa. Assim sendo, por primeiro, ressalto que esta Diretoria sempre esteve aberta a considerações, críticas, sugestões e novas ideias, estando à disposição para receber os associados pessoalmente para os devidos esclarecimentos. Entretanto, há de se considerar as limitações do clube em relação ao atendimento de todas as necessidades dos associados, sendo certo que realização se dá, por óbvio, dentro dos limites operacionais e financeiros. Um clube, diferentemente de empresas, não visa lucro, não é o seu objetivo social, mas sim o de procurar atender aos anseios de seus associados, zerando os custos. Nesse sentido, são equivocados os comentários de que a Diretoria visa lucro, carecendo ser eliminado de manifestações espontâneas. Depois, existem várias formas de recomposição de receitas para fazer frente às nossas despesas, as quais aumentam dia a dia. Sempre buscamos não prejudicar o associado, mas sim agregar mais serviços, tudo dentro de nossas possibilidades. A cobrança de convidados nos espaços de eventos foi amplamente discutida no Plenário do Conselho Deliberativo, decorrente de que muitos associados e Conselheiros enxergavam como abuso a presença de um número excessivo de convidados usando gratuitamente nossas instalações. Para ilustrar, só em 2015 estiveram no clube aproximadamente 14.500 convidados. Esse excesso acarretou um aumento significativo de despesas operacionais, tais como materiais de higiene e limpeza, manutenção, luz, água, gás, segurança e até a obrigação do pagamento de horas extras aos funcionários, a fim de manter em ordem os espaços para utilização, prejudicando, com isso, nosso orçamento anual. Portanto, somente com essa medida teremos um controle e redução desse abuso. Ressalto, ainda, que esses espaços foram planejados e executados pelas várias gestões administrativas, no intuito de realizar a integração dos associados, com cobrança de taxas muito aquém dos praticados no mercado, jamais para servir como buffet. Ceder os espaços para uso de não associados, implica em desleal privilégio, que deve ser afastado. Por fim, tenha a certeza de que nos preocupamos com a satisfação de todos, não nos afastamos do objetivo básico e dos fins aos quais o clube se destina, quais sejam, o lazer, o entretenimento e a integração entre seus associados, procurando manter a união familiar, sem, contudo, excluir os associados individuais, que em muito contribuem com o dia a dia do clube. Certo de vir ao encontro de suas expectativas, coloco-me a seu dispor para eventuais esclarecimentos que se fizerem necessários. Valdir Gomes Moreira Presidente da Diretoria Executiva

» Heloisa Aguiar publicou 07/01/2016 às 11h16

Sr. Valdir. Diante dos seus esclarecimentos com relação à cobrança por convidados de associados nos espaços de eventos, gostaria de fazer algumas considerações. Primeiramente, ressalto que, a partir do momento em que o clube cobra um valor pelo espaço em si, não faz o menor sentido que seja também cobrado um valor por convidado sob o argumento de que tal quantia corresponde às despesas de manutenção e higiene. Não há duvida de que o valor cobrado pelo espaço, cuja legitimidade é indiscutível, já se refere aos custos de manutenção e higiene do espaço, de modo que o clube claramente cobra duas vezes pelos mesmos serviços. Cabe destacar que nem mesmo empresas destinadas à locação de espaços para festas realizam esse tipo de cobrança por convidado, a não ser que sejam oferecidas comida e bebida. E nem poderia ser diferente, tendo em vista que não se cobra por um serviço não prestado, assim como não se cobra duas vezes pelo mesmo serviço, conforme o Ipê está fazendo. Não discuto, de maneira alguma, a necessidade de serem tomadas as providências devidas para evitar que sejam realizadas festas sem a presença de um sócio. Entretanto, não há duvida de que existem maneiras mais efetivas e menos onerosas aos associados, como imposição de multa e suspensão ao sócio que não seguir as regras para a locação de espaços. Percebe-se facilmente, portanto, que essa cobrança por convidado, além de abusiva, não atinge o objetivo de evitar a realização de festas sem a presença do associado, de modo que apenas legitima tal prática, o que é contrário aos fins sociais do clube (que, de maneira alguma, visa qualquer tipo de lucro) e aos interesses dos associados. Por essas razões, gostaria de esclarecimentos adicionais relativos a essa cobrança por convidado em caso de locação de espaços pelos sócios. Obrigada. Heloisa Aguiar

 

Envie o seu comentário

 

 
 
 
 

Rua Ipê, 103 • Ibirapuera • São Paulo • SP • CEP 04022-005 • Tel. (11) 5574-7255
Copyright © • Todos os direitos reservados